Domaine de la Romanée-Conti

Domaine de la Romanée-Conti

O mais venerado produtor de vinho de qualidade, o Domaine de la Romanée-Conti, produz algumas das garrafas mais cobiçadas e caras do planeta Frequentemente referido simplesmente como “RDC”, o domínio possui 25 hectares de vinhedos Grand Cru que incluem os lendários lotes La Romanée Conti e La Tâche. Esta é uma vantagem única que distingue a RDC de qualquer outro domínio da Borgonha, uma vez que só produzem vinho de locais de Grand Cru.

As origens da RDC remontam a 1232 quando era propriedade da Abadia de Saint Vivant, em Vosne. Os monges trabalharam um vinhedo de 1,8 hectares no que é hoje o lote La Romanée Conti. Mesmo nesses primórdios, os monges reconheceram a qualidade excecional do solo. Quatro séculos mais tarde, de propriedade de Philippe de Croonembourg, o vinhedo La Tâche foi adicionado à propriedade.

Em 1760, o domínio foi vendido por uma enorme soma ao Príncipe de Conti, que venceu com sucesso uma disputa de licitações com a amante do Rei, Madame de Pompadour, e incluiu o seu nome na herdade. Seguir-se-ia mais drama quando o domínio foi confiscado, após a Revolução Francesa, e vendido em leilão.

Hoje em dia, o domínio é propriedade conjunta das famílias de Villaine e Roch e é gerido por Aubert de Villaine e Henri-Frederic Roch. A filosofia da RDC centra-se na produção de pequenas produções de uvas de qualidade excecional que são tratadas com um toque muito leve na adega. Todos os anos o domínio produz uma pequena quantidade de 6000-8000 caixas em todos os seus Grand Crus que são rapidamente arrebatadas pelos endinheirados e pelas ligações certas.

Romanée-Conti Grand Cru é o vinho emblemático da herdade que obtém periodicamente pontuações perfeitas dos meios de comunicação internacionais especializados em vinho; as colheitas de 2016 e 2015 obtiveram 100 pontos de Robert Parker da Wine Advocate. Vulgarmente considerado como a expressão máxima da uva Pinot Noir, apenas 450 caixas de Romanée-Conti são produzidas por cada colheita, fazendo deste o vinho mais raro e mais caro do mundo.

Outros vinhos de grande qualidade incluem La Tâche, Richebourg, e Grands Echezeaux. A RDC também tem a vantagem de possuir a maior parte das terras em cada um dos Grand Crus que utiliza para o vinho tinto, o que significa que em crus ligeiramente menos prestigiados, tais como os Échezeaux, os vinhos produzidos a partir dos seus melhores vinhedos são normalmente muito melhores do que os dos seus vizinhos.

De uma perspetiva de investimento, os melhores vinhos de Romanée-Conti têm valorizado muito nas últimas décadas. Um exemplo perfeito é a RDC Romanée-Conti 1990, que aumentou mais de 3000%, nos últimos 20 anos. Mais recentemente, o foco alterou-se para os vinhos de domínio mais acessíveis que mostraram um excelente incremento; o Domaine de la Romanée-Conti Echezeaux 2010 registou um aumento de 176,9% em valor, ao longo dos últimos cinco anos.

« | »
Wine Library