Domaine de Pallus

Domaine de Pallus

Situado num dos melhores locais da denominação de Chinon, o Domaine de Pallus está nas mãos de uma mesma família local, há cinco gerações. Em 1889, a propriedade, em Chinon, foi comprada por Josep Moron que reconheceu o excelente potencial vitivinícola do local com os seus diversos tipos de solo e microclimas apelativos.

O atual proprietário é Bertrand Sourdais, que assumiu o cargo quando o seu pai se reformou, em 2005. A carreira variada de Sourdais incluiu temporadas em Mouton-Rothschild, Santa Rita no Chile, e Alvaro Palacios em Priorat, antes de se estabelecer temporariamente no Domínio de Atauta, em Ribera del Duero, Espanha.

Enquanto ali trabalhava, no seu primeiro posto oficial como enólogo, Sourdais produziu o lendário vinho Llanos del Almendro 2002, que ajudou a incluir no mapa a herdade pouco conhecida. O vinho foi provado, juntamente com 31 extraordinários vinhos franceses e espanhóis, pelo crítico de vinhos francês de renome Michel Bettane que lhe atribuiu o primeiro lugar, empatado com Vega Sicilia 1994. O Château Latour 2000 veio a seguir com o segundo lugar. O sucesso em Espanha levou Sourdais a considerar o que poderia ser feito com os vinhedos, bem situados, da sua família para criar um verdadeiro vinho Chinon de classe mundial.

Alguns anos após o seu regresso ao Domaine de Pallus, Sourdais, converteu toda a propriedade em viticultura biológica. Adotou também práticas biodinâmicas, incluindo a utilização de chifre-esterco e a produção do seu próprio composto. Na adega, Sourdais prefere usar uma maturação prolongada de mais de 30 dias para expressar a “alma” do seu Cabernet Franc, seguida de uma maturação lenta numa combinação de cascos de carvalho, tanques de cimento e em garrafa.

Atualmente, a herdade possui vinhas com uma idade média de 40 anos que Sourdais utiliza para produzir uma variedade diversificada de vinhos, dominada pelo Cabernet Franc. Na extremidade superior encontram-se La Rougerie, que é produzido a partir de um impressionante vinhedo único cultivado, em 1952, e La Croix Boissée, que se situa numa encosta íngreme cultivada, em 1974. Ambos os vinhos envelhecem em barris da Borgonha, durante 18 meses, seguindo-se um envelhecimento adicional em garrafa antes de serem comercializados.

Sourdais também produz Les Pensées de Pallus a partir de uvas de elevada qualidade selecionadas apenas a partir dos melhores lotes na encosta, nos seus vinhedos de Cravant les Coteaux. Aqui, os solos arenosos, calcários e as horas prolongadas de luz solar, ajudam a produzir um vinho elegante contudo bem estruturado que Sourdais considera como o seu “premier cru”. O portfólio é completo com uma série de vinhos mais novos e frescos chamados Messanges e o aromático Le Coq de Pallus, que é produzido a partir de Chenin Blanc.

« | »
Wine Library