Vérité

Vérité

A vinícola Vérité nasceu da colaboração entre o falecido Jess Jackson, descrito por Robert Parker como “um dos homens mais extraordinários que já conheci no mundo do vinho”, e um dos melhores viticultores franceses, Pierre Seillan. Jackson tinha desafiado Seillan para vir à Califórnia e produzir um vinho para rivalizar o legendário Chateau Petrus. Seillan respondeu que deveriam tentam fazer um Merlot de classe mundial, ainda melhor que o Petrus, um vinho que combinaria harmoniosamente o processo de vinificação de excelência do Velho Mundo e vigor e ambição do Novo Mundo.

Com o passar dos anos, Seillan desenvolveu um conhecimento íntimo da vinícola onde “cada encosta, cada forma e relevo oferecem um micro-Cru diferente”. No total, identificou 40 desses micro-Crus que são vindimados manualmente e vinificados separadamente para permitir que o caráter de cada lote se apresente.

Esta atenção ao detalhe extende-se mesmo à produção das barricas de carvalho da Vérité. Lotes específicos de floresta são selecionados para crescer os carvalhos e a equipa de vinicultores escolhe cuidadosamente o nível exato de torrefação para complementar o vinho que irá fazer o processo de maturação dentro dessa barrica.

A Vérité é hoje em dia uma das mais premiadas vinícolas do mundo com 12 pontuações perfeitas de 100 pontos do Robert Parker, mais do que qualquer outra vinícola da região de Sonoma County. A herdade produz 3 vinhos distintos, La Muse, La Joie e Le Desir, que Robert Parker descreve como “três dos melhores vinhos produzidos na Califórnia”.

Seilan criou o La Muse e La Joie em 1998; o La Muse foi concebido como um vinho de base Merlot rival do Petrus, enquanto o La Joie é um vinho de mistura Bordeaux com estilo Médoc produzido principalmente com Cabernet Sauvignon. O membro final do trio, Le Desir, foi lançado em 2000 quando Seilla conseguiu tornar real o antigo sonho de criar um dos melhores vinhos californianos com Cabernet Franc.

Uma das melhores colheitas da Vérité é a colheita de 2013 que produziu dois vinhos de 100 pontos de pontuação. Ambos o 2013 La Muse e o 2013 La Joie conseguiram pontuações perfeitas de Robert Parker.

« | »
Wine Library