Château Mouton Rothschild

Château Mouton Rothschild

O Château Mouton Rothschild tem estado destinado à produção desde o início do século XVIII, quando a propriedade era pertença da família de Segur, que também fundou várias outras herdades, de primeiro plano de Bordeaux, incluindo o Château Calon Segur. Através da sua história antiga, os vinhos da herdade estiveram, frequentemente, entre os melhores de Bordéus. Um ligeiro declínio na década de 1840 significou que Mouton perdeu o estatuto de First Growth na Classificação de 1855, que classificou as melhores herdades, da Margem Esquerda, pelo preço da garrafa.

Em 1853, Mouton foi adquirido pelos atuais proprietários, a família Rothschild, e a herdade tornou-se conhecida pelo nome de Château Mouton Rothschild. Embora a propriedade tenha sido inicialmente adquirida a título de investimento, no espaço de uma geração, os membros da família Rothschild começaram a manifestar um grande interesse na herdade e a qualidade dos vinhos regressou ao seu esplendor anterior.

Um dos proprietários mais visionários da herdade foi o Barão Philippe de Rothschild que assumiu o controlo da herdade, em 1922, com apenas 20 anos de idade. Entre as conquistas extraordinárias de Philippe estava a de conseguir que Mouton fosse reclassificada como uma herdade de First Growth, em 1973. Até hoje, este sucesso continua a ser a única alteração à Classificação de 1855.

As outras inovações de Philippe foram no sentido de alterar completamente a forma como o vinho de qualidade era feito na região de Bordéus. A partir dos anos 20, insistiu que todos os vinhos Mouton fossem engarrafados na herdade em vez do tradicional hábito de os vender em barris a negociantes que depois os engarrafavam. O engarrafamento no château tornou-se rapidamente prática corrente em Bordéus, visto que permite à adega controlar todos os aspetos do processo de vinificação e assegurar a consistência e a qualidade.

Após a Segunda Guerra Mundial, Philippe incentivou a tradição marcante de Mouton Rothschild de selecionar um artista diferente para desenhar o rótulo para cada colheita. Ao longo dos anos, na lista de artistas que participaram, constam-se com os mais conhecidos nomes do mundo da arte; Picasso, Salvador Dali, Andy Warhol, Francis Bacon, David Hockney são apenas alguns dos nomes famosos que criaram designs de rótulos personalizados para o Mouton.

O Grand Vin da herdade é frequentemente descrito como “extravagante” graças à absoluta opulência e ao poder do seu perfil com sabor arrojado e estrutura que requer, no mínimo 15 anos de envelhecimento nas caves, antes de estar pronto para consumir. Mouton utiliza normalmente apenas 50% da sua produção anual do Grand Vin, com grande parte da fruta a ser proveniente de vinhas com idades compreendidas entre os 50 e os 100 anos. Tal significa que a produção é rigorosamente limitada a um máximo de 20.000 caixas de Grand Vin, por colheita. Estes são vinhos icónicos que têm um excelente comportamento na cave e são bastante procurados, em todo o mundo, por colecionadores e investidores de vinho.

Château Mouton Rothschild alcança frequentemente classificações notáveis de famosos enólogos internacionais; a colheita de 2016 obteve uma pontuação perfeita de 100 pontos da The Wine Advocate de Robert Parker e 99 pontos da Wine Enthusiast. Outras colheitas recentes, com melhor rendimento, incluem a colheita de 2013 que apresentou um crescimento de 70,1% durante os últimos 5 anos.

« | »
Wine Library