Dominio de Es

Dominio de Es

Escondido no vale isolado de Atauta, no extremo oriental de Ribera del Duero, encontra-se este projeto único, fundado pelo enólogo francês Bertrand Sourdais. A carreira de Sourdais inclui passagens por Mouton-Rothschild, Santa Rita, no Chile, e Alvaro Palacios, em Priorat. Nos segundo milénio, Sourdais assegurou a sua primeira posição oficial como enólogo no Domínio de Atauta, em Ribera del Duero.

O sucesso ocorreu rapidamente quando Sourdais produziu o lendário vinho Llanos del Almendro 2002, que ajudou a incluir a propriedade no mapa vitivinícola. O vinho foi provado, juntamente com 31 extraordinários vinhos franceses e espanhóis, pelo crítico de vinhos francês de renome Michel Bettane que lhe atribuiu o primeiro lugar, empatado com Vega Sicilia 1994. O Château Latour 2000 veio a seguir com o segundo lugar.

Inspirado pelo seu trabalho em Atauta, com os extraordinários vinhedos anteriores à filoxera da herdade, Sourdais alugou 25 pequenos lotes na aldeia, onde trabalha como um humilde enólogo. As modestas explorações vitivinícolas, têm pouca produtividade de frutos excecionais que Sourdais utiliza para elaborar os seus raríssimos vinhos Dominio de Es. De acordo com as tradições vitivinícolas locais, mistura uma pequena quantidade de uma variedade branca local chamada Albillo nos seus tintos Tinto Fino.

Sourdais produz apenas 500 garrafas do seu vinho emblemático, La Diva, com uvas provenientes de um vinhedo muito especial com solos de calcário arenoso, no extremo de um vale estreito. Aqui as vinhas não são enxertadas, uma vez que as condições climáticas adversas da zona e os solos pobres, impediram a filoxera de lá chegar. Na adega as uvas fermentam em tanques de madeira abertos, durante 20 dias, e o vinho novo passa até 19 meses a maturar em cascos de carvalho francês.

O segundo vinho do Dominio de Es, La Mata, é proveniente de um local de 7 hectares de pré-filoxera que tem 14 proprietários diferentes e solos argilosos pesados característicos. Também neste caso, devido aos baixos índices de produtividade e à superfície limitada, La Mata é produzido em pequenas quantidades de cerca de 600 garrafas, por ano. A vinificação é a mesma da La Diva, à exceção da maturação, que dura 14 meses, em barris novos.

O Dominio de Es possui também um terceiro vinho que é rotulado “Viñedos Viejos de Soria” ou “Vinhedos Velhos de Soria” e produzido a partir do que Sourdais considera como vinhedos “premier cru” cultivados em solos arenosos calcários. Potente contudo acessível mesmo sendo novo, este engarrafamento demonstra a espessura e a intensidade do aroma das vinhas velhas, juntamente com um atrativo caráter de terra e floral. São produzidas apenas 5000 garrafas, por ano, e o vinho envelhece em barris borgonheses usados, durante 18 meses.

« | »
Wine Library